terça-feira, 30 de junho de 2009

Juliano Socio

O Pr. Juliano Caetano Socio nasceu em Maringá, PR, e foi criado na cidade de Nova Esperança, também no Paraná. Mudou-se para Maringá no ano de 1982, quando ainda em sua adolecência entregou seu coração a Jesus. Formou-se em Teologia pelo Seminário Antonio de Godoy Sobrinho, em Londrina-Pr.

Músico e Compositor, começou o ministério através do Louvor. Em 2001 Lançou o CD Cada Dia. Depois foram dois CDs que produziu em parceria com o Conselho Missionário da Primeira IPI de Maringá, juntamente com outros cantores evangélicos no Brasil.

Em 2004 lançou o seu quarto disco, o Voz e Violão. Assumiu o pastorado assistente na Igreja Presbiteriana Cristo Rei de Cambridge, Boston/USA, em 31 de Dezembro de 2004. A Igreja é formada por Americanos e Brasileiros, que sonham em ver na Grande Boston o evangelho de Jesus sendo proclamado. Tem exercido o ministério na Cristo Rei, trabalhando em diversas áreas da vida da Igreja, servindo ao Senhor e aos irmãos com alegria, e com o desejo de ver o Reino de Deus sendo implantado na face da terra a cada dia.

Casado com Ana Paula há 13 anos, somos os felizes pais de três maravilhosos presentes de Deus em nossas vidas, Paulo, Laura e Davi.

Nosso maior desejo é servir ao Senhor com todo o nosso coração e sempre colaborando para a formação do caráter de Cristo em nossas vidas e na vida dos irmãos, para que assim, o Reino do Senhor se expanda e se estabeleça cada dia mais sobre a face da terra.

Jesus declarou: EU sou o Pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome. (João 6.35)

Julia Camilo



A cantora gospel Julia Camilo desde muito pequena começou a louvar a Deus, juntamente com a sua irmã Alice, faziam duetos na igreja central de Piracicaba/SP, onde passaram a infância. Cantávam em trios, quartetos, grupos e corais, juntamente com toda sua família, que sempre foi movida pela música.

Aos 15 anos Julia foi estudar no IAP (Instituto Adventista Paranaense), onde teve suas primeiras experiências com estúdios de gravação fonográfica. Participou durante 3 anos do Coral Jovem do IAP da gravação do CD “Projeto bênçãos”. Também fez parte, por quase três anos, do Grupo Compasso Livre, dirigido pelo maestro Jader Santos e da gravação do CD “Toma minha vida”, gravado pelo grupo em 2002.

Em maio de 2003 gravou um CD com o Trio Art in Louvor “Adonai”, o trio era composto pela sua irmã Alice, sua tia Eni e Julia. A partir deste momento, juntamente com o Trio Art in Louvor começou a levar o ministério da música mais a sério e a perceber o plano de Deus em sua vida. Ainda com o Trio Art in Louvor gravou mais dois álbuns: “Seleção de Louvores vol. I” e “Um milagre”.



Em abril de 2005 casou-se com o Wagner Fritsche e em Outubro do mesmo ano Deus lhe concedeu a graça de gravar seu primeiro CD solo: “Tudo para mim”.

Em novembro de 2007 lançou o seu segundo cd solo, com o título "CREIO EM DEUS", patriocinado pelo MUSICASA.

Atualmente mora em Ipuaçu/SC e saí todos os finais de semana (com seu marido) para realizar cultos de louvor e adoração a esse tão grandioso Deus.

Juízo Final



A banda Juízo Final pioneira no hip hop gospel nacional, surgiu em 1994. Nesses mais de dez anos de estrada, o Juízo Final tem conquistado um público cativo em todo o Brasil, participando de grandes eventos país afora.

Em sua São Paulo natal, eles já tocaram para mais de 200 mil pessoas no Estádio do Pacaembu, no SOS da Vida, considerado o maior encontro gospel do planeta; no Estádio da Portuguesa; no Anhembi; e na Marcha para Jesus, evento anual promovido pela Igreja Renascer que costuma reunir sempre mais de um milhão de pessoas. Em Brasília, eles tocaram no Show pela Paz, um grande evento local.

O grupo também tem em seu currículo uma participação no evento Skate Street Style, que conta com a presença dos melhores skatistas do mundo. O baterista Betinho, principal compositor do Juízo Final e responsável pelo marketing da banda, tem uma vasta experiência no mercado de música evangélica. Ele já tocou nas bandas Quarteto Alfa, Brigade, Soldyers, Yardenith e Renascer Praise e foi músico contratado da cantora Soraya Moraes, com quem lançou quatro CDs.

Uma prova da maturidade e do respeito adquiridos pelo grupo é o fato de eles contarem com vários patrocinadores, entre eles marcas de óculos, roupas e tênis, entre outros. Mas, apesar de tanto sucesso, o sexteto mantém a humildade. Segundo o grupo, seu principal objetivo é passar uma mensagem de paz, amor e de conscientização contra as drogas, enfocando os problemas sociais como a violência, a má política, a corrupção e mostrar a solução através do amor ao próximo.

“Queremos compartilhar nossa vivência e nossa alegria por ter chegado até aqui, para que nossas experiências sirvam de estímulo aos fãs e aos que têm o sonho de ter sua própria banda”, diz o Juízo Final, em seu site oficial (www.juizofinalgospel.com.br).
A gravadora Gospel Records é uma das que mais investem no rap e no hip hop evangélico. Talvez porque sua sede esteja em São Paulo, onde o movimento rapper é mais forte. Na capital paulista, assim como pipocam a cada esquina cantores, duplas e grupos seculares dedicados ao gênero, o mesmo acontece com os crentes que cada vez mais se engajam no movimento.

O rap e o hip hop, tanto para um quanto para outro, florescem principalmente nas periferias, mas, como virou moda, também chegou às regiões onde vivem as classes B e C. Mais ou menos como aconteceu com o funk carioca em 2000.

Uma das bandas mais representativas do rap gospel paulista é o Juízo Final, formado por Jadiel (voz), Weriton (voz), Leandro (guitarra), Gê (baixo), Rodrigo (teclados) e Betinho (bateria). Em 2004, o grupo completa 10 anos de estrada. Enquanto se prepara para seu quarto disco, Realidade Virtual, o sexteto segue divulgando o CD anterior, Novos Conceitos, lançado em 2003. Os dois primeiros álbuns da banda foram Juízo Final (94) e Ficha Limpa (2001), todos pela Gospel Records.

Embora possa ser considerado um grupo de rap, o Juízo Final não é tão “radical” quanto outros nomes do gênero. Na verdade, o som do grupo poderia ser definido como pop-rock-rap, um estilo que não é tão comum nem no mercado secular nem no gospel. Na música dita mundana, a moda é o new metal, que mistura hardcore e rap. Mas a sonoridade do Juízo Final é mais leve, e tem toques também de soul, r&b, eletrônica e maracatu.

Quando surgiu, em 94, o Juízo Final era composto apenas por dois DJs, e fazia um rap tradicional. Mas, com a entrada de quatro novos músicos, eles incorporaram o pop-rock e tornaram-se pioneiros, no mundo gospel, nessa fusão de ritmos.

Segundo o grupo, o nome do terceiro CD representa bem sua proposta musical. E eles têm razão. Já na primeira faixa, apenas uma introdução, eles misturam rap, rock e eletrônica. A música seguinte, Zumbi, é a mais pesada entre as 11 do disco, e trata de diversos temas: costumes, medo, injustiça e outros. É, talvez, a faixa que melhor sintetiza a proposta inovadora do grupo de misturar pop-rock com rap.

“Sou careta e sou feliz”

As drogas são um tema recorrente nas letras de Novos Conceitos. Em Chegamos, um rap de ritmo animado e vários scratches, o compositor Betinho alerta: “O cachimbinho de pedra ou um saquinho de pó / Enrolado, baseado, e só você é culpado da sua própria destruição / Se liga meu irmão, eles te deixam sem nada / Esvaziam sua casa, sugam tudo o que tem / Derrubam o seu barraco, te deixaram num buraco / E aí, hein?”

Em Caretas, um rap-rock também de Betinho, ao mesmo tempo em que o Juízo Final alerta contra as drogas, faz também uma auto-avaliação de seus 10 anos de estrada, desde os tempos que seus integrantes se encontravam no templo da Irgreja Renascer, às segundas-feiras, ao posto de uma das principais bandas de rap gospel nacional. “Tudo começou tão rápido demais, o crescimento, o reconhecimento e o que Deus quer mais / Muitos recuperados, curados, libertos e muito mais / Dos encontros nas segundas, Deus tinha muito mais / Um ministério tão jovem, mas, meu Deus, cresceu demais / É por isso que canto, repito e digo assim: / Eu sou careta e você diz: ‘drogas, bah’ / Eu sou careta, eu sou feliz, drogas, bah”, diz a letra.

Outra faixa interessante é Direito, o rap mais “tradicional” do CD, no qual a banda mostra-se indignada com a passividade do povo e conclama as pessoas a lutar, tanto por seus direitos sociais quanto pelas bênçãos que Deus reserva para suas vidas. “Chegou a sua hora, chegou a sua vez, não se deixe ser roubado / Não pare, não pare, não pare, não fique calado / (...) Tenha atitude e deixe de reclamar, lute, não se intimide / Agora é a hora, pode crer e acredite / Respeito não se ganha, tem que se conquistar / Eu sei que é difícil, mas também sei que eu posso / Pois esse é um direito nosso”, versa Betinho.

Mas Novos Conceitos também tem outros temas e ritmos. Mashia é um louvor, com forte influência do r&b. Destino é um soul romântico, enquanto Madalena – que faz citação a Maria, grande sucesso do primeiro CD da banda – é uma balada. Na última faixa, Prova de Fogo, o Juízo Final inclui maracatu ao seu rap-rock. Inovação, atitude e fé. Este é o Juízo Final. Como eles dizem no refrão de Chegamos, “faça o que eu fiz e pode ser feliz”.

Cada um pertence a uma denominação: Batista, Assembléia e Renascer em Cristo. O Vocal, Jadiel, canta na Batista. O Batera e líder da banda, Betinho Fonseca, toca na Renascer Osasco. Inclusive já tocou no Renascer Praise e acompanhou a cantora Soraia Moraes durante um ano... e outros

A banda existe há 8 anos e a partir do penúltimo CD (Ficha Limpa), o estilo mudou bastante - ou melhor no início era Hip Hop, sendo o primeiro grupo de Rap no Brasil, estourado nas rádios com a música "Maria" tanto em rádios gospel como seculares de Rap. A partir do CD Ficha Limpa que é o terceiro CD da banda, já veio com influências e misturas como Rap X Rock, Funk, Metal X Hip Hop, e até Heavy.

E hoje não é mais um grupo de Rap mas sim uma banda com 6 componentes e nosso público também é maior sendo: a galera do Hip Hop, skatistas, surfistas, roqueiros e a galera que aprecia música em geral.

As composições nascem de várias maneiras: com experiências ruins, ou boas, tristezas, alegrias, sonhos, e as vezes é pessoal. Vem a inspiração da música, melodia e depois a letra ou vice versa, para criar os arranjos e melodiaa banda se reune uma vez por semana.



Em 2007 a banda gravou o Disco Realidade Virtual, totalmente Independente. Em relação os componentes da Banda, está de volta o Vocal Jadiel, Andre Guedes na guitarra, WG no vocal, Rodrigo no teclado, Nivaldo Lopes no Baixo e Betinho Fonseca na Batera. As músicas vem no estilo New Metal ou seja Rap X Rock, em uma mistura que a Banda já faz a muitos anos, sendo a precursora nesse estilo há 10 anos atraz, as múicas tem um fundo baseado no Filme Matriz, com idéias inteligentes que fará o ouvinte pensar na letra e cada um terá uma interpretação, isso na música Realidade Virtual, de Autoria de Betinho Fonseca, Refrão: "A escolha é sua a Verdade é Sua Tome a decisão se a verdade quer viver".



A banda tem como influência Musical Link Park, Rage Againt the Machine e algumas das características são de cada um dos músicos que acaba deixando seu toque e sua caracteristica pessoal. E em relação as letras sempre falamos contra as Drogas, Má Política e coisas do Dia a Dia que todos sabemos que é errado mas acaba passando em branco. No Disco Realidade Virtual todos poderão observar muitas frases e ideias que são tiradas do Filme e do Livro Matriz, e da Biblia.

Judson de Oliveira



Judson de Oliveira recebeu o chamado de Deus para servir e abençoar a Igreja através de sua vida, utilizando os dons da música e do ensino da palavra que o Senhor o concedeu.

Judson é ministro de louvor, líder e um dos pastores da Igreja Batista de Contagem, juntamente com sua esposa April. É também líder do Ministério Judá e responsável pelo acompanhamento pastoral de toda a equipe. Viaja no Brasil e no exterior levando a mensagem e ensinamentos do Senhor, servindo na edificação da Noiva de Jesus. Tem abençoado vidas através das ministrações de louvor que Deus derramou em sua vida.

Pr. Judson é um dos líderes da AIR (Aliança das Igrejas para Restauração) que tem atuado em diversas igrejas do Brasil, EUA, África e Europa.

O pastor e cantor JUDSON DE OLIVEIRA é casado com April e pai de Nehemiah, Asaph e Calebe. Todos são membros da Igreja Batista de Contagem. Judson e April também têm cinco filhos de criação Carla, Isaías, Rafael, Rómulo e Roberte.

Judson e April de Oliveira receberam o chamado de Deus para servir e abençoar a Igreja através de suas vidas, utilizando os dons da música e do ensino da palavra que o Senhor os concedeu.

Judson é ministro de louvor, líder e um dos pastores da Igreja Batista de Contagem, juntamente com sua esposa April. É também líder do Ministério Judá e responsável pelo acompanhamento pastoral de toda a equipe.

Ele viaja pelo Brasil e exterior levando a mensagem e ensinamentos do Senhor, servindo na edificação da Noiva de Jesus. Tem abençoado vidas através das ministrações de louvor que Deus derramou em sua vida.

O pr. Judson é um dos líderes da AIR (Aliança das Igrejas para Restauração) que tem atuado em diversas igrejas do Brasil, EUA, África e Europa. Em 2008 a Gravadora Onimusic lançou em todo o Brasil, "Graça", o novo Cd de Judson de Oliveira, líder do Ministério Judá. Gravado ao vivo na Igreja Batista de Contagem, Graça é um cd de louvor e adoração que fala da necessidade de arrependimento, do amor e da graça de Deus sobre nossas vidas.

Após os bens sucedidos trabalhos "Completamente Apaixonado" (1 e 2), "Ele enxugou minhas lágrimas" e "Usa-me", Judson Oliveira nos surpreende com um Cd bastante eclético em seu estilo musical, mas, que busca despertar a igreja para que ela aja de acordo com o que Deus ensinou.

A mensagem que fica é de que Deus está liberando um som, um som de graça, um som de compaixão que tocará nossas vidas. Enfim, uma mensagem de fé e esperança a todos os adoradores que estão pensando que é o fim, quando na verdade, é apenas o começo.

Testemunho: "Nestes dias eu tenho sido muito abençoado ao ver que o Senhor tem movido de uma forma maravilhosa. Nosso desejo é que Deus nos use para sermos um canal, para servir a noiva e podermos cooperar com aquilo que o Senhor esta fazendo no Brasil e nas nações. Já nos primeiros meses deste ano, temos visto que há uma guerra, mas também sentimos o cheiro da vitoria. Uma das primeiras palavras que o Senhor compartilhou conosco neste ano e sobre quando Davi voltou de uma batalha e encontrou sua casa e sua família saqueada.



Algo sobrenatural acontece ali. Ele vai atrás dos Amalequitas, os encontra e então, traz absolutamente tudo de volta e seus companheiros que não conseguiram acompanhá-lo, também recebem do despojo. Eu creio que a GRAÇA do Senhor esta sendo liberada. Até aqueles que estão fracos e cansados e sobrecarregados o rei que no nosso caso e Jesus vai estender a sua GRAÇA e restaurar famílias e ministérios." diz o pastor Judson.

Jozyanne



Escolhida por Deus para desenvolver um ministério de louvor, Jozyanne possui um timbre de voz suave, mas marcante, que emociona a todos que a ouvem cantar. Não só por sua belíssima voz, mas também pela interpretação singular que apresenta, a cantora transmite de maneira única o que a alma quer dizer em forma de canto.



Sempre inovando, ela é capaz de interpretar com fidelidade vocal tanto a mais sacra das canções, assim como o pop. Seu trabalho pode ser definido como uma junção dos mais variados estilos musicais existentes, do pentecostal, a adoração até o pop, o que transfere a sua música: talento, versatilidade e capacidade musical.

Jozyanne nasceu em uma família evangélica e voltada para música. Sendo seu pai maestro e músico, e sua mãe cantora, não poderia dar em outra coisa. Ela sempre teve muito talento para música, desde pequena seus pais a incentivavam cantar na igreja. Com três anos de idade já cantava com banda e tudo, pois é, e afinadinha. Participou também do coral infantil da Assembléia de Deus em Cordovil, junto com Liz Lanne e Eyshila, uma amizade que vem de longa data. Com sete anos, gravou três faixas no disco de sua mãe, que tinha como título “Vivo Está”. E assim foi... Jozyanne cresceu nos caminhos do Senhor, cumprindo seus propósitos e dependendo dEle para tudo.

Ainda na adolescência tirou o primeiro lugar no Programa de Auditório El Shaday, promovido pela Rádio 93 FM. Mal se podia imaginar que dentro de alguns anos, ela mesma estaria lançando seu CD solo. Passado algum tempo, fez parte do grupo Altos Louvores. Mais tarde, na época da formação do grupo Voices, Jozyanne foi convidada pela amiga Eyshila para participar do back-vocal do primeiro projeto do grupo. Foi quando Deus usou Marina de Oliveira para abrir as portas da MK, convidando-a para participar como integrante do Voices, onde fiou até o ano de 2005. Logo depois, estreou sua carreira solo, que é mais uma das promessas que Deus cumpriu em sua vida. - Antes do meu primeiro CD, eu cantava nas igrejas com play-back de outras cantoras. Quando meu CD foi lançado eu pude ver a promessa que Deus havia feito quando eu era tão pequenininha sendo cumprida”, comenta emocionada. Jozyanne lançou seu primeiro CD em 2001, UM NOVO CORAÇÃO. Em 2003, veio SOM DO CÉU, um trabalho primoroso com arranjos de Jairinho Manhães.

Casada com o pastor Odilton Angelo e mãe de duas filhas lindas, Isabella e Manuella, Jozyanne está vivendo um novo momento. Depois de seis anos, deixou o grupo Voices para se dedicar exclusivamente ao ministério solo. A saída do grupo Voices do qual foi uma das fundadoras não foi traumática, e sim, inesperada. A cantora recebeu direcionamento de Deus para seguir outro caminho – e com Ele não se discute. As amigas (Fernanda Brum, Liz Lanne, Eyshila e Marina de Oliveira) lamentam, claro, mas apoiaram Jozyanne e estão juntinhas da ex-integrante nessa nova fase. A notícia movimentou o segmento, mas principalmente a sua vida, gerando mudanças radicais e ousadia para prosseguir. ESPERO EM TI, seu terceiro CD pela MK tem produção de Ludmila Ferber (indicada ao Grammy Latino 2005) e Rogério Vieira (também indicado ao Grammy deste ano pelos CDs de Aline Barros e Eyshila). Para Jozyanne, o interessante é que cada produtor deu seu toque pessoal, mas respeitou o seu gosto musical. Aliás, o estilo de Ludmila e Rogerinho são bem diferentes, o que deu ao álbum maior riqueza sonora. Tudo aliado ao timbre agudo, porém “doce” da cantora, superou todas as expectativas.



O Quarto trabalho de Jozyanne pela MK Music, o CD "Eu quero ir pra lá", é a grande novidade para o ano de 2007. O álbum traz 13 faixas surpreendentes, com ministrações ousadas e poderosas mensagens de Deus. Neste trabalho, Jozyanne permanece à sua raíz pentecostal, mas o produtor Jairinho Manhães diversifica competentemente em seus arranjos.



O resultado é um álbum abençoado, que promete fazer a diferença nas igrejas e nos lares.

Joy Williams



A cantora Joy Williams já deu muito o que falar no cenário internacional. Joy já emplacou diversos hits de sucesso nas principais rádios e foi indicada aos principais prêmios de música do país.

Em 2001, ainda no colégio, Joy lançou aquele que seria o primeiro disco da carreira. O auto-intitulado álbum debut colocava no mercado uma das cantoras mais promissoras da nova geração. O mais recente trabalho de Joy, “Genesis” é o terceiro disco da curta carreira e sucessor de “By Surprise”, de 2002. Não há como não notar nas 10 faixas do disco a presença de uma sonoridade bem conhecida pelo público.



Dando voz a um trabalho trazendo faixas com o melhor do Pop Rock, Joy Williams talvez deixe a desejar no quesito inovação. São canções trazendo um ambiente eletrônico, com guitarras acústicas e a presença do piano e instrumentos de corda em algumas faixas. Prato cheio para os artistas de hoje.



Em “Genesis”, a cantora traz um disco mais maduro, dividindo com o público seu sentimento e experiências pessoais através das músicas. A grande surpresa desse material fica por conta de um lado de Joy Williams até então desconhecido pelo público. Pela primeira vez em quatro anos de estrada, a americana lança um disco com músicas de sua autoria, tendo como resultado um trabalho mais pessoal e introspectivo.



Talvez seja por isso que esse álbum, com produção de Matt Bronleeve (famoso por trabalhar com Natalie Imbruglia, Jars Of Clay e Michael W. Smith), tenha demorado quase dois anos para ser finalizado. São faixas que remetem muito a Deus e a fé nas coisas da vida, como Joy faz em “God Only Knows”. “Genesis”, traz musicas enérgicas e bem trabalhadas, com o melhor da música Pop.

Josué Teodoro


Josué Teodoro cantor e compositor, nasceu em Belford Roxo, no Rio de Janeiro no dia 12 de julho de 1970, fez cursos de dublagem com os profissionais da "Herbert Richards" e Desenho artístico e publicitário. Josué é auto-didata.

Varios prêmios na música Gospel
Três CDs Gravados.
*No Ritmo do Sentimento
*De Todo Coração
*Minhas Lembranças, Minhas Canções

Suas canções é uma combinação perfeita de mensagem-poética e música. Seus cantores preferidos são: Cristiane Carvalho (Brasil), Witney Houston (USA); sua canção: Wonderfoul World (Louis Armstrong). Gosta de ler a Bíblia, literatura nacional (Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles) e livros da literatura cristã.

Josué lançou (produção independente) o CD "No rítmo do sentimento" em 1998, no Brasil. Sucesso absoluto de público e venda. O CD teve como marcas registradas as canções de amor e o tema conhecidíssimo "Tem coisas que a gente não esquece", entre outras. Em primeira mão lançado no Rio de Janeiro no início de 1998 e no ano seguinte aberto para todos os apreciadores da boa música em todo o país.

Você pode encontrar algumas dessas canções inseridas em alguns cd's de copilação, como o da COMPASSION, uma instituição internacional que ajuda a menores carentes e abandonados. Uma coletânea feita pela revista O LEVITA, no ano de 2000 - edição limitada, e outros.

O CD "De todo o coração" lançado pela gravadora DSP Promoções em de 2001. Além de não faltar o romantismo, o cd vem abrindo o foco, e faz ser possível louvar com vários assuntos. O cd já começa com uma entrega total das nossas vidas ao Senhor. "Senhor, se teus olhos procuram alguém, me encontre", frase da canção DEUS DOS MEUS SONHOS. Em seguida te envolve em uma adoração maravilhosa e quando você percebe, está no Santuário de Deus "Onde estão os meus pés, torna o teu lugar Senhor", frase da canção SANTUÁRIO.

Um cd belíssimo, projetado no Espírito para a perfeita adoração ao Deus da nossa salvação. E de quebra, você recebe de bonus, uma canção Natalina para solo masculino. O CD contou com a participação dos mais competentes profissionais do mercado atual. Nas baterias, Layla Torres, Natinho Batera e Wagner Carvalho (Vaguinho) que parou pra pensar e disse: "Essa não é qualquer música, essa música é Josué Teodoro.

É uma benção ouvir os dedos de Rogério dy Castro fazendo o baixo falar, Rogerinho, Tadeu Chuff e Alcimar Rangel nos teclados, Eduardo Ramos e Joab Gomes nas guitarras, o vocal com a participação de Cristiane Carvalho do Coral Renascença deram vida ao cd De Todo o Coração, que conta também com a participação de Vanessa Moraes na canção ETERNO AMOR (regravação).

O CD "Minhas Lembranças, Minhas canções", resgata os maiores sucessos desde o início de sua carreira como compositor.

Josué participou da gravação de vários CDs, de amigos, como:

* Denise Cerqueira (Redoma Produções)
CD: Tua Presença - MÚSICA: "Te amo"

* Dilce Carvalho (Kerigma Produções)
CD: Mais Feliz - MÚSICAS: "Plano Feliz" e "Lugar Santíssimo"

* Coral Renascença (Alfa & Omega Produções)
CD: Natal de Alegria - MÚSICAS: "Fiel e Verdadeiro" e "Ouves o que ouço"

* Marinéia Rocha (Independente)
MÚSICA: "Minha Pátria"

As canções de Josué já foram gravadas por vários cantores no Brasil e no Exterior, alguns dos nomes mais conhecidos no mercado gospel nacional:

* Aline Barros
* Altos Louvores
* Andréa Fontes
* Bruna Carla
* Cassiane
* Cristiane Carvalho
* Cristina Mel
* Denise Cerqueira
* Dilce Carvalho
* Elaine de Jesus
* Fernanda Brum
* Jossana Glessa
* Lauriete
* Léa Mendonça
* Marina de Oliveira
* Maurizete Catarina
* Thelma de Souza
* Vanessa Moraes
* Entre outros...

Segundo Josué seu ministério é fruto de sua comunhão com Deus buscando estar no centro de sua vontade no que diz respeito ao estilo, músicas e tudo mais. O Senhor não o deixou clamar em vão. e hoje, ele se sente livre do rótulo: "Ele canta igual ao fulano de tal!"

Josué Teodoro expressa em suas canções influencia Gospel Americano, Soul, Jazz e Blues. Atento as montagens de rock-blues, rock-reaggae, o blues-jazz. Curti B.B. King, Areta Franklin, Whitney Houston, as fazes de Stevie Wonder, envolveu-se com música-coral. Sempre ouviu a boa música e hoje pode, com orgulho, fazer o seu próprio som.

Josué está preparando seu novo CD "Momentos com Deus".

Josué Rodrigues


Josué Rodrigues de Oliveira, também conhecido como Josué Rodrigues é um músico, instrumentista, compositor e cantor gospel brasileiro. Josué Rodrigues é referência na música cristã nacional. É também pastor efetivo da Igreja Presbiteriana Betânia em Niterói. Cursou Teologia no Seminário Presbiteriano do Sul e têm 1 compacto e 8 CD´s gravados. Casado com Maria Emília com quem tem 2 filhos: Paulo, integrante da banda Crombie e Júnia.

Josué Rodrigues é bem conhecido no Brasil e tem um ministério pastoral na Igreja Presbiteriana Betânia de Niterói - RJ. Suas músicas nos inspiram e são recheadas da Palavra de Deus e da cultura brasileira.

Desde 1990, é pastor titular da Betânia. O pastor Josué Rodrigues é um autêntico representante da música evangélica regional. Com um estilo muito próprio nos brindou com lindas canções como: " A Força da Minha Vida , Boas Palavras, Carvalhos de Justiça , Olho o Mar ", etc.



Discografia

* 1 - Cinzas (compacto)
* 2 - Boas Palavras
* 3 - Tempo
* 4 - Cada Coração
* 5 - Vem Louvar Jesus Comigo
* 6 - Coletânea 1
* 7 - Novas
* 8 - Portas
* 9 - Quarto Secreto

Jossana Glessa



A cantora gospel Jossana Glessa é inteligente, bem-humorada. Aos 3 anos de idade, ela já cantava no grupo infantil de sua igreja. Aos 5, começou a fazer apresentações solo e aos 8 lançava seu primeiro disco, "Deus É Perfeito", gravado de forma independente e voltado para o público adulto.

Aos 13 anos, com o lançamento de "Águas Cristalinas", Jossana conheceu finalmente o sucesso. Suas músicas tocaram nas principais rádios evangélicas do país e ela se apresentou em diversas igrejas Brasil a fora. Com um vozeirão atípico para a idade, Jossana surpreendia o público por onde passava. Apesar de tão jovem, nada disso a deslumbrava.

Jossana diz: “Meus pais sempre conversaram comigo sobre tudo que iria acontecer na minha carreira. Amadureci muito rápido. Aos 13 anos eu encarava tudo isso muito bem, por causa da minha educação. Minha mentalidade sempre esteve muito à frente da minha idade”, disse Jossana, numa entrevista descontraída realizada em um restaurante do Rio de Janeiro.

Acompanhada do marido e empresário, Marcio Fiorini, Jossana falou de seus mais novo desafio: lançar um disco por um selo novo. "Tudo Que Sonhei", 8º trabalho da cantora, é apenas o segundo título da You Gospel, gravadora americana que já atuava no Brasil dentro do mercado secular mas que não possuía nenhuma experiência com música gospel.



Marcio, empresário de André Lima – primeiro contratado evangélico da You – foi o responsável por estruturar o braço gospel da gravadora. Foi assim que os americanos conheceram Jossana. Após uma audição do disco Mais Que Um Sonho, que ela lançou há dois anos pela Grapevine, não demorou muito para a assinatura do contrato.

“A You é uma grande promessa de Deus que foi realizada na minha vida. Desde aquele inicio, quando eu cantava sozinha na igreja aos 5 anos, Deus me fez uma promessa de que um dia eu gravaria um disco por uma gravadora americana. É interessante porque eu sempre gostei de ouvir artistas de fora. Isso me incentivou mais ainda”, conta Jossana.

Mas nem tudo foram flores nesse caminho. Algumas indefinições nos rumos da You deixam o futuro de Jossana incerto na gravadora. Como se voltasse a seus tempos de independência, ela continuou – e continua – divulgando Tudo Que Sonhei, à espera do que irá acontecer.

“Enquanto a Grapevine foi uma promessa de gravadora, a You Gospel foi uma promessa de Deus na vida da Jossana. Não sabemos o que irá acontecer com a You. De qualquer forma, o propósito de Deus já se cumpriu”, diz Marcio.

“No interior do país minhas músicas estão sendo muito bem tocadas. Em algumas cidades, estou em primeiro lugar nas rádios. Apenas no Rio e em São Paulo ainda estamos esperando para iniciar uma divulgação mais forte”, revela Jossana.

Problemas “extracampo” à parte, Jossana caprichou na produção de Tudo Que Sonhei. Para garantir a riqueza rítmica do disco – que vai do pop-rock de No Deserto à soul music da faixa-título, passando pelo forró pentecostal de Se Tem Fogo e o pop americano de Aquele, que lembra o hit Without You, de Mariah Carey – a cantora convocou três produtores, Jairinho Manhães, Silvinho Santos e Mito.

Entre os músicos, nomes experientes como o baterista Geraldo Abdo, do Novo Som; o pianista Rafael Castilhol; o saxofonista Marcos Bonfim e os vocalista Marquinhos Menezes, Jozyanne e Betânia Lima. Muitos desses nomes vêm trabalhando com uma exigente Jossana disco após disco.

“Sou uma pessoa que gosta de acompanhar tudo, de dar opinião em tudo. Se não fosse assim, não teria nem gravado este disco, mesmo sabendo que estou trabalhando com pessoas competentes. Se eu escolhi essas pessoas, é porque eu acho que cada música tem a sua cara”, esclarece.

Uma das músicas do disco tem uma cara bastante diferente. O Som do Céu, de Josué Teodoro, é uma mistura de maracatu e frevo, lembrando as músicas de carnaval do Nordeste. Se alguém ouvir e se assustar, é porque não conhece a trajetória de Jossana. Ela foi a primeira cantora a gravar um charme e um pagode no meio gospel. A bola da vez é algo que assemelha à chamada axé music.

“O Josué Teodoro sabe que eu não tenho medo de cantar nada. Ele disse que só poderia dar essa música para mim. Só eu cantaria esse estilo!”, lembra Jossana. “Esta é uma música fácil, comunicativa, com um ritmo bem pra frente, em que eu canto e a igreja responde. Entreguei-a ao Mito pedindo que ele fizesse como se estivéssemos em um trio elétrico. Em algumas igrejas já virou corinho de tão fácil que é o refrão.”

Como desafios não são problemas para Jossana, a cantora tem entre seus projetos gravar um disco para o público infantil. Se a sua voz, forte e grave, se encaixará bem em músicas para crianças? Ela ainda não sabe, mas promete tentar.

Sincera, a cantora lamenta a quantidade de falsos discos ao vivo que têm invadido o mercado gospel e planeja lançar o seu. Serão CD e DVD ao vivo, de verdade, sem milhões de remendos em estúdio e, no lugar de músicas desconhecidas, os principais sucessos dos... 18 anos de carreira.

“Já vou fazer 20 anos de carreira daqui a pouco! Gente, mas eu sou tão nova!!!”, diverte-se Jossana, que, embora seja da Assembléia de Deus, não pensa em ser pastora após a ordenação de Cassiane e não esconde ser fã de Ed Motta, Ana Carolina, Rosana e Roupa Nova. Definitivamente, ela é uma artista à frente de seu tempo.

Josias Cruz



O cantor Josias Cruz é compositor e pastor da Igreja Internacional Da Graça De Deus, à frente da Reunião da Vida Sentimental em São Paulo. Josias desde 84, prega as palavras do Senhor através da música. Seu primeiro álbum, lançado em 2002, reúne canções repletas de unção, como "Filho Pródigo", "Sai Tristeza Sai" e "Pai Perdoa".

Josias nasceu em 21 de dezembro de 1968. Sua esposa chama-se Jeanne Landim da Cruz e seu filho Diogo Landim da Cruz. Josias gosta de escrever e ver bons filmes nas horas vagas. Ele também toca violão e tem 2 Cds gravados.

Atualmente, é líder do ministério jovem da Igreja Internacional da Graça do Estado de São Paulo. Sua integração a equipe da Gravadora Graça Music se deu a convite do Missionário RR Soares, que convidou na época, Agê Ferreira, Rosivaldo e Josias para uma conversa. E nesse dia os convidou para gravar o primeiro CD. Inclusive, eles foram os primeiros da gravadora.

Josias também está à frente de um programa na RIT – Tarde Show (www.tardeshow.com.br) que está em concurso que tem como prêmio a Gravação de um CD pela Gravadora Graça Music. Muitos candidatos já passaram pelo palco e, independente de estar ou não na finalíssima, devem ter trazido experiência nova ao seu ministério. Os jurados são experientes e ótimos professores. Josias diz a todos que, muitas coisas que os candidatos ouviram dos jurados, ele acabou aproveitando e implantando em seu ministério de louvor e tem sido uma benção.

Como líder jovem ele diz o que a igreja deve fazer para mantê-los na presença de Deus? Qual método você tem utilizado? "É mantê-los ocupados com a obra de Deus. Ver neles algum talento que tenham e aproveitá-los dentro da obra. Dêem uma olhada no site da mocidade da Sede de São Paulo www.kaixadagua.com nós temos dentro da mocidade, pelo menos 20 ministérios diferentes. Ou seja, cada membro da mocidade, de uma forma ou de outra, está envolvido com alguma tarefa. Isso acrescenta neles responsabilidades, pois chegam na reunião sabendo do seu compromisso. É exatamente isso! Eles precisam estar compromissados com a obra de Deus."

Apesar das suas tarefas diárias, Josias ainda encontra tempo para compor. que segundo Josias a inspiração "acontece" sempre em sua casa. "Ali é o melhor lugar para fazer as minhas canções."



Josias tem um projeto de um livro, que inclusive o entregou ao Missionário Soares, e esta aguardando. Em relação ao ministério pastoral, atualmente não está pastoreando nenhuma igreja, no entanto convites dos pastores lhe são feitos e ele tem grande alegria de poder pregar em vários lugares do Brasil. Em relação ao ministério da música, esse vai com ele onde ele prega, é um ministério apoiando o outro, como uma aliança que se completa.



Perguntado sobre o que ele mudaria nesse país se estivesse em suas mãos fazê-lo, ele diz: "É complicado... no país principalmente. Eu acredito que a mudança começa no homem e deve começar dentro dele. A palavra de Deus diz que não adianta limpar o exterior do copo e do prato e deixar o interior sujo. Verdade! A coisa só vai ficar limpa por fora, quando o interior for limpo. O homem limpo por dentro, pela palavra de Deus, reflete fora também".

Jorge Camargo


O cantor gospel Jorge Camargo interpreta de modo harmonico alguns dos mais belos poemas musicados da música cristã brasileira. Ele que é descendente de índios e italianos, respectivamente por parte de pai e mãe, começou o aprendizado musical aos 13 anos, dentro de uma Igreja. Ainda no entusiasmo de uma experiência com Deus, começou a se enveredar pela composição, com melodias colocadas sobre textos da Bíblia.



Dali até a menção honrosa como melhor compositor do "Banco de Talentos" da Febraban, entregue pelas mãos do maestro Nelson Ayres, muito tempo passou. Nesse 1995, Jorge já podia recordar do ingresso na Faculdade Teológica Batista de São Paulo aos 18 anos e da bolsa de estudos que ganhou para a Inglaterra. De lá foi para os Estados Unidos, e acumulou mais bagagem de vida para suas composições.



Não imaginava que anos depois a Federação de Bancos estava premiando um funcionário cuja maior felicidade ao trabalhar no ramo era poder emprestar os livros maravilhosos da biblioteca da instituição. E no ano seguinte ao "Banco de Talentos" estaria o Jorge novamente aguardando uma premiação, desta vez como 2o. lugar no Festival Paulicéia Musical, de São Paulo, com a canção "Motivação".



Os prêmios da música secular só vieram a consolidar algo que os cristãos sabiam há muito tempo. Em 17 anos de carreira na música evangélica, Jorge Camargo ajudou a escrever a história do que viria a ser o atual "gospel' no pioneiro grupo "Vencedores por Cristo", no "Grupo Semente", nos audaciosos projetos da Igreja Batista do Morumbi - quem seria louco o suficiente para usar uma orquestra de 22 cordas em um disco evangélico, em plenos anos 80 ? - e em uma carreira solo de qualidade inquestionável.



É difícil encontrar nas igrejas evangélicas históricas quem nunca se emocionou ao ouvir que "O rei da glória, o rei dos reis, Senhor dos senhores, soberano Deus...é Jesus". Às vezes é até difícil ler em Salmos que "...o pardal encontrou casa e a andorinha ninho para si, eu encontrei teus altares Senhor, rei meu e Deus meu" sem se lembrar da melodia de Jorge. "Bendize ó minh'alma ... pra sempre penhorada ao Seu imenso amor...Senhor tu és maravilhoso...".



Sim, Deus é maravilhoso com Jorge Camargo como pode ser com qualquer pessoa, "de todas as tribos, povos e raças". São muitas as músicas dele, registradas nos discos "Salmos" e "Presença", apontado como uma das melhores produções dos últimos anos, onde mescla regravações de canções bem conhecidas com outras inéditas. Um vida grossa de talento e ternamente fina de dedicação a Deus.

Podíamos falar muita coisa ainda. Falta dizer que Jorge Camargo já se apresentou na Inglaterra e Estados Unidos e que tem um grande volume de canções vertidas do inglês, como "Céu no meu coração",
"Brilha Jesus" e "Glória, Glória Senhor". Ou ainda que é articulista de uma revista evangélica...



Jorge Camargo é casado com Fátima há 11 anos.

São quase três décadas de amor e paixão pela música e de muita dedicação a ela.

Desde a adolescência, no aprendizado do violão e na chegada das primeiras composições, até hoje, sete discos depois - Jorge traz na bagagem profissional e pessoal a experiência de ter tocado com nomes como Eliane Elias, Nelson Ayres e Rique Pantoja e de ter estudado com mestres como Mozart Mello (violão) e Claudio Bertrami (baixo).

Além disso, as malas de viagem carregam lembranças de todo o Brasil, dos Estados Unidos, da Europa e da África. Há também na bagagem de mão centenas de horas de seminários elaborados e ministrados sobre o processo criativo, a importância da poesia e técnicas de autoria. São mais de 300 composições, das quais cerca de 150 gravadas entre produções próprias e de terceiros.

… o talento de compositor, intérprete, arranjador e produtor dividido com músicos brasileiros como Maurício Caruso, Cézar Elbert, Maurício Domene, Marinho Andreotti, Rogério Boccato, Marquito Cavalcante, Nelson Bomilcar e Marinho Brasil, entre tantos outros.

… a premiação em festivais musicais da Febraban e do Sindicato Nacional dos Bancários.

… as apresentações musicais em todo o Brasil e mundo afora, com destaque para as realizadas nos Estados Unidos (igrejas e auditórios em Orlando, Nova York, Boston, Washington, e Philadelphia), na Europa (Universidade de Uppsala, na Suécia, e Jogos Olímpicos Universitários de Sheffield, na Inglaterra) e África (Ginásio de Esportes Benfica, em Angola).

O que há de mais belo neste músico foi dedicado a Deus: seu amor.

Salmos - Seu primeiro trabalho solo, registra as primeiras composições do Jorge ainda na adolescência, inspiradas no livro de Salmos. Produzido em 1987 por Nelson Bomilcar e Jorge Camargo, o disco foi arranjado por Gerson Ortega e Nelson Bomilcar e também tem participações de Maurício Domene, Marcos Mônaco, Rogério Enachev e Maurício Caruso.

Feito o Amanhecer
Gravado em 1991 e produzido e arranjado por Mauricio Domene, David Lisboa Neto e Jorge Camargo, este disco registra as parcerias de Jorge com Guilherme Kerr e algumas canções que ele havia escrito quando de sua estada em Londres. Também participaram Sérgio Cofoni, Carlos Valença, Mário Andreotti, Mário Macedo, Marcos Mônaco, Esdras Gallo, Ester Tsunashima, Rogério Enachev, Carlos Sider e Sonia Polonca.

Presença
Produzido por Cézar Elbert, Presença foi gravado em 1996 e representa um momento especial de seu trabalho, refletido no repertório e no estilo do disco. Em comemoração aos seus 10 anos, este disco acaba de ser relançado - com nova arte para a capa - em parceria com VPC Produções.

Intimidade
A produção é assinada por Jorge, Nelson Bomilcar e Marquito Cavalcante. É por certo seu trabalho mais denso musical e espiritualmente falando. Tem como marca sua vertente acústica. Também participaram Mário Andreotti (Marinho), Russel May, Rogério Bocatto, David Lisboa Neto, Marcos Mônaco, Letícia Cavalcante e Dick Duncan

O Chamado
Arranjado por Nelson Bomilcar e Maurício Caruso Melo, foi concebido com o propósito de contribuir para o Projeto Angola 2001. Gravado em 2000, teve como característica a solidariedade: todos os que dele participaram doaram graciosamente seus honorários: Cláudio Rocha, David Lisboa Neto, Gilson B. Oliveira, Iraci Oliveira, Silas Oliveira, Eloir de Paula, Adriana S. Oliveira, Fábio M. Guazzi, Rogério Bocatto, Marcos Mônaco e Rubens Feliciano.

20 anos de estrada
Coletânea concebida e realizada em parceria com VPC, registra a participação de Jorge como intérprete nos muitos trabalhos produzidos pelo grupo. Neste trabalho há canções de trabalhos como Missões e Adoração; Louvor; A Música de Sérgio Pimenta; Eram Doze; Grupo Semente; Vento Livre; Estações do Amor; Canções de Amor; Louvor de Raizes e Cânticos, além de outros.

Somos Um
Somos Um é uma combinação de fragmentos biográficos, reminiscências, poesia e música, tudo ocupando um mesmo espaço e falando uma mesma língua. Jorge Camargo, após mais de duas décadas atuando como músico e compositor assina um texto leve e envolvente, repleto de sentimento e emoção onde revela um pouco da vida e obra de grandes personagens da filosofia, da literatura e da teologia percorrendo uma trajetória de quase dois mil anos e estabelecendo, a partir dessas pessoas, paralelos com sua própria vida. E isso recheado com as letras de canções inéditas, inspiradas nesses personagens. Juntamente com o livro, você adquire também um CD com essas mesmas canções, compostas especialmente para o projeto. Para ler e ouvir. Refletir e crescer.

Discografia:
Vencedores por Cristo

Louvor III
Louvor IV
Louvor V
Cânticos I
Louvor VI
Louvor VII
Louvor VIII
Canções de Amor

Semente
Plantando a Semente
Fruto da Semente
Criação

IB Morumbi
Missões e Adoração I
Vento Livre
Missões e Adoração II
Missões e Adoração III

GKerr Produções
Eram Doze
Estações do Amor
Dia de Visitação

Solo
Salmos
Feito o amanhecer

Diversos
Espera Silenciosa (Lucitânia)
A música de Sérgio Pimenta
Atitude e Solidariedade (Vinde)
All over the world (Gerson Ortega)
Paulicéia Musical (Sind. Bancários do Brasil)
Expresso Luz
Sem Barreiras (Marcha para Jesus)

Cia Alternativa
Presença
Presente (Canções de Natal)

Alento Produções
Intimidade
20 Anos de Estrada

Lançamentos:

**O Melhor de Mim Álbum Duplo - Esta coletânea, resultado da parceria com a EcoTVBrasil, é fruto de um projeto que se iniciou com o Livro-CD "Somos Um". Seu título, "O melhor de Mim", é o retrato de uma trajetória de mais de duas décadas dedicadas à produção e veiculação de música cristã brasileira.

**Somos Um - Uma combinação de fragmentos biográficos, reminiscências, poesia e música, tudo ocupando um mesmo espaço e falando uma mesma língua. Juntamente com o livro, você adquire também um CD com essas mesmas canções, compostas especialmente para o projeto. Para ler e ouvir. Refletir e crescer.



Há vários anos Jorge tem ministrado o curso "Faça Suas Próprias Canções" em todo o Brasil e em outras partes do mundo. Trata-se de um módulo de 4 horas que aborda os temas "A importância da Poesia", "Técnicas para a elaboração de textos poéticos" (letras de música), e "Aula Prática"

Trata-se de um módulo de 4 horas que inclui as seguintes sessões:

1)A importância da Poesia
Nesta primeira sessão, Jorge discorre sobre o significado da palavra Poesia, sua importância na história da arte e da religião e sua relevância para o processo criativo.

2)Técnicas para a elaboração de textos poéticos (letras de música)
Usando textos famosos da literatura brasileira e canções dos mais importantes autores da MPB, Jorge apresenta aos participantes do curso ferramentas e dicas para as suas primeiras composições.

3)Aula Prática
Na última parte do curso, os participantes são convidados a auxiliar o Jorge na composição de uma canção inédita!
O aproveitamento, em todos os cursos ministrados até hoje, tem sido de 100%. Em todos eles uma nova canção foi escrita, com a participação e colaboração de todos.

Para mais informações sobre datas e custos, entre em contato
aqui

Livro “De Vento em Popa”
Em maio de 2005 Jorge concluiu seu mestrado em ciências da religião pela Universidade Mackenzie com a dissertação “De Vento em Popa - Fé cristã e música popular brasileira”
e agora negocia com algumas editoras a publicação desse texto.

Curiosidade:
Na página do Jorge Camargo você encontra vários podcasts, eu selecionei este na voz do Jorge, o poema “Canção do Vento e da Minha Vida” do poeta Manuel Bandeira. Para quem aprecia poesia, vale a pena ouvir.

Jonas Myrin



Jonas Myrin é cantor, compositor e líder de culto conhecido por seu trabalho na Igreja Hillsong Londres. Myrin nasceu em Örebro, Suécia, em novembro 1982. Seus pais eram missionários, o que resultou em ele morar na Rússia, África do Sul, Islândia, e em toda a Escandinávia.



Ainda jovem a sua voz foi usada em desenhos animados suecos e jingles. Ele então passou um verão trabalhando em Benidorm, Espanha, onde aprendeu o espanhol. Ele participou Risbergska Skolan High School, onde formou-se um ano mais cedo. Ele então mudou-se para Londres aos 17 anos para prosseguir sua carreira musical.

Myrin foi vocalista em uma banda em sua cidade natal de Örebro. Em sua chegada em Londres, ingressou na Igreja Hillsong Londres onde ele logo começou a liderar a equipe de música. Ele co-escreveu canções gravadas no álbuns Shout God's Fame, Deus Ele reina, Esperança, Jesus Is My Superhero, e outros. Ele viajava com a equipe Hillsong culto em torno de Ruanda, Camboja e da E.U.A. Ele cantou em dueto com frequência e tem feito um monte de composições com Natasha Bedingfield, e alcançou sucesso mundial como um cantor pop desde então.



Em 2002, Myrin apareceu no vídeo para a canção "Get Over You", de Sophie Ellis-Bextor. Em 2007, tocou teclados e piano elétrico Wurlitzer no álbum NB por Natasha Bedingfield. No mesmo ano, gravou a canção "Natal Anjos", com Michael W. Smith destaque no álbum It's a Wonderful Natal. Ele também co-escreveu a música "Seu" com Steven Curtis Chapman que este gravou em seu álbum.



Jonas estabeleceu-se como um compositor escrevendo canções para vários artistas, incluindo o sueco Idol, e lançamentos no Japão e em toda a Escandinávia, Londres, Los Angeles, ele está atualmente se preparando para lançar sua carreira solo.



Myrin co-escreveu uma série de canções com Redman, incluindo a faixa "You Alone Can Rescue".

John Sherrill



Em 2002, John Sherrill saiu de seu serviço de ambulante para trabalhar no ministério da igreja local, para atender ao chamado que Deus havia colocado em seu coração. Deus também reavivou em seu coração a fé e a certeza da presença de Deus, bem como a liberdade de reconhecer as batalhas humanas e espirituais. E isso foi algo revolucionário e necessário a sua vida.



Então, John Sherrill já conta com onze anos de ministério, nove CDs de Liderança, Adoração e Louvor, mais de 40 canções escritas, milhares de quilômetros viajados, e algumas surpreendentes parcerias de ministério. "Eu sou um novo homem nas mãos de Deus. O Espírito Santo tem despertado em mim um novo encargo e uma nova paixão para levar o Seu povo para adorá-Lo com autenticidade. Minha alegria e meu privilégio é o de partilhar este novo ministério com você através da nossa música." diz Sherrill.

A John Sherrill Band é formada por:
John Sherrill, Josh Smith, Seth Johnson, Zack Jones.



DISCOGRAFIA da John Sherrill Band:


*"Join In The Song" (Participe na Canção) John trabalhou com o lendário produtor Paul Mills para lançar o que vai rapidamente tornar-se um favorito de todos aqueles que têm seguido seu ministério. Este novo CD de músicas, bem como algumas versões de estúdio, as canções favoritas lançadas anteriormente em CD ao vivo, é um convite a uma noite de paixão e íntima adoração e louvor.

* The Beautiful Gathering é um convite para você fazer parte de um despertar espiritual que aconteceu durante a gravação ao vivo. As canções falam da grandeza e majestade de Deus durante a captura do movimento do Espírito de Deus na vida de seu povo.

*Stage & Studio contém algumas das novas canções da banda e de John que têm sido um líder de culto corporativo. Como o título sugere, algumas canções são ao vivo e outras faixas foram gravadas no estúdio.

*Fidélis mantém em linha a paixão de conduzir o coração em obediência e fidelidade a Deus. Fidélis é traduzido do latim como "fiel" John combina suas canções favoritas escrita com líderes como Ross King, Billy Foote, Jeff Moore e Charlie Hall. Este CD tem 14 músicas, uma viagem musical que deixa o ouvinte querendo mais. A experiência da energia e da unção em Fidélis, é interpretada por John e sua banda clamando o nome de Jesus, buscando a sua presença e exaltando a fidelidade a Deus.



Ainda os álbuns "Twenty two" e "Tudo sobre nós" seguem o mesmo estilo de adoração congregacional.

John Schlitt


John Schlitt é um cantor de rock cristão americano. Sua carreira musical começou em meados dos anos 70, quando tocava em uma banda de rock secular chamada Head East. Foi também vocalista da banda Petra.John Schlitt tem dois álbuns solos gravados e há mais de dois anos vem trabalhando o terceiro álbum, que de fato ainda não foi lançado. John também teve uma participação num álbum chamado "Renewal CD - Ready to go".



Esse Cd foi lançado dia 09 de Setembro de 2001, e foi dedicado a Igreja Comunidade de Cristo, em Franklin, TN. Este álbum é composto de 18 canções feitas por vários artistas cristãos.

Em outubro de 2003, a 3ChordsRecords lançou um álbum chamado "Welcome To The Revolution," (Liberty n' Justice) que também é uma compilação de vários artistas de rock cristão, entre eles John Schlitt e Greg X. Volz. A música de John que faz parte desse projeto é "It's About Love".



Na verdade, a carreira solo de John Schlitt nunca foi vista com bons olhos. Todas as vezes que ele esteve trabalhando no lançamento de seus álbuns surgiram rumores que ele deixaria o Petra. O primeiro álbum "Shake" foi lançado logo depois do álbum do Petra, "No Doubt". Esse trabalho é como se fosse um mix de canções do "Unseen Power" ao "No Doubt", mas com um som relativamente diferente. O segundo álbum é chamado "Unfit For Suine" de 1996.

John Newton



John Newton nasceu em Londres, 24 de Julho de 1725 — 21 de Dezembro de 1807. John foi um traficante de escravos convertido ao anglicanismo. John foi autor de muitos hinos incluindo Amazing Grace.

John Newton nasceu em Wapping, Londres, em 1725, filho de John Newton, um capitão de navio a serviço no Mediterrâneo, e Elizabeth Newton (née Seatclife), uma Cristã Não-conformista. Sua mãe morreu de tuberculose quando ele tinha apenas 6 anos.

Depois de um curto tempo na Marinha Real, John Newton iniciou sua carreira como traficante de escravos. Por volta de 1750, John Newton era o comandante de um navio negreiro inglês. Os navios faziam o primeiro pé de sua viagem da Inglaterra quase vazios até que escorassem na costa africana. Lá os chefes tribais entregavam aos Europeus as "cargas" compostas de homens e mulheres, capturados nas invasões e nas guerras entre tribos.

Os compradores seleccionavam os espécimes mais finos, e comprava-os em troca de armas, munições, licor, e tecidos. Os cativos seriam trazidos então a bordo e preparados para o "transporte". Eram acorrentados nas plataformas para impedir suicídios. Colocados lado a lado para conservar o espaço, em fileira após a fileira, uma após outra, até que a embarcação estivesse "carregada", normalmente até 600 "unidades" de carga humana.

Os escravos eram "carregados" nos navios para a viagem através do Atlântico. Os capitães procuraram fazer uma viagem rápida esperando preservar ao máximo a sua carga, contudo a taxa de mortalidade era alta, normalmente 20% ou mais. Quando um surto de disenteria ou qualquer outra doença ocorria, os doentes eram atirados ao mar. Uma vez chegados ao Novo Mundo, os negros eram negociados por açúcar e melaço que os navios carregavam para Inglaterra no pé final de seu "comércio triangular."

John Newton transportou muitas cargas de escravos africanos trazidos à América no século XVIII. Certo dia, durante uma de suas viagens, o navio de Newton foi fortemente afetado por uma tempestade. Momentos depois que ele deixou o convés o marinheiro que tomou o seu lugar foi jogado ao mar, por isso ele próprio guiou a embarcação pela tempestade. Foi nesta tempestade que Newton ofereceu sua vida a Cristo, pensando que ia morrer.

Mais tarde ele comentou que durante a tempestade ele sentiu quão frágil e desamparado eles estavam e concluiu que somente a Graça de Deus poderia salvá-los naquele momento. Incentivado por esse acontecimento e pelo que havia lido no livro "Imitação de Cristo" de Tomás de Kempis, ele resolveu abandonar o tráfico de escravos e tornou-se cristão. Após ter sobrevivido, ele converteu-se verdadeiramente ao Senhor Jesus e começou a estudar para ser um chamado Pastor”. Sua experiência o levou a compor a canção Amazing Grace (em inglês: "Graça Maravilhosa").



Nos últimos 43 anos de sua vida ele pregou o evangelho em Olney e em Londres. Em 1782, Newton disse: "Minha memória já quase se foi, mas eu recordo duas coisas: Eu sou um grande pecador, Cristo é o meu grande salvador. "No túmulo de Newton lê-se: "John Newton, uma vez um infiel e um libertino, um mercador de escravos na África, foi, pela misericórdia de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, perdoado e inspirado a pregar a mesma fé que ele tinha se esforçado muito por destruir". O seu mais famoso testemunho continua vivo, no mais famoso das centenas de hinos que escreveu:

* Sublime graça
1. Sublime graça que alcançou
Um pobre como eu,
Que a mim, perdido e cego achou,
Salvou e a vista deu!

2. De vãos temores e aflição
A graça me livrou
E doce alívio ao coração
Em Cristo me outorgou.

3. Se lutas vêm, perigos há,
Se é longo o caminhar,
A graça a mim conduzirá
Seguro ao santo lar.

4. A Deus, então, adorarei
Ali, no céu de luz,
E para sempre cantarei
Da graça de Jesus.

John B.Dykes


A música tem esse poder de transformar palavras e mensagens, "aplainando" a aridez de algumas, reforçando a beleza de outras e transmitindo conteúdos que serão mais facilmente retidos.

O Dr. John B.Dykes é considerado um dos maiores compositores da hinologia inglesa. Temos, no Cantor Cristão, 5 hinos de sua autoria; os de número 9, 74, 177, 355 e 394. Seu dom estava em colocar a música nas letras, buscando perfeita combinação entre a letra e a música.

Foi grande talento musical. Foi também organista e compositor de grande capacidade. Diz Robert McCutchan que John Dykes, quando criança, gostava tanto de órgão que pagava às suas irmãs um centavo por hora para que estas o pedalassem enquanto ele tocava.

Aos 12 anos, se tornou assistente e organista na igreja em St. John, em Hull, onde o seu avô foi bispo. Estudou em Wakefield e St. Catherine's Hall, em Cambridge, onde foi Acadêmico Presidente da Cambridge University Sociedade Musical, e ganhou um BA em Clássicos.

Em 1848, ele se tornou coadjutor em Malton, Yorkshire. de Durham, então precentor (1849-1862). Em 1862 ele tornou-se bispo de St. Oswald's, Durham (ele nomeou um filho St. John Oswald Dykes, e uma das suas músicas).

Seus sermões e artigos sobre religião foram publicados, mas Dykes é mais conhecido por compor músicas foram mais de 300 hinos. Na sua música, como em seu trabalho eclesiástico, ele era menos dogmático do que muitos de seus contemporâneos sobre as controvérsias teológicas do dia-muitas vezes ele atendeu pedidos para compor músicas para não-anglicano. Além de seu dom para a escrita de música, tocou o órgão, piano, violino, e buzina.

O hino "Santo! Santo! Santo!" letra de Reginald Heber, tão grande como é, só se tornou famoso quando se juntou à música do Dr. John B. Dykes (o hino "Santo! Santo! Santo!" baseia-se em Apocalipse 4:8-11 e só foi descoberto trinta e cinco anos após sua morte, quando sua viúva divulgou o conteúdo de uma velha mala, que encontrou)

A melodia com a qual cantamos o hino "Santo, Santo, Santo", tem o nome de Nicaea e é da autoria do Rev. John B. Dykes, nascido a 10 de março de 1823 e falecido em 22 de janeiro de 1876.

"Santo! Santo! Santo!" (HE-104, HCC-2) refletiu, pouco antes da era vitoriana, a preocupação de R. Heber e J. B. Dykes em elaborar um hino de alto nível literário e musical. Dykes iniciou o movimento de expressão emocional na música-de-igreja inglesa.

A linda música, que se casa perfeitamente com as palavras e o sentido do hino "OUVI O SALVADOR" (escrito pelo ministro do evangelho o Dr. Horácio Bonar, 1808­ – 1889, nascido em Edimburgo, na Escócia), foi escrita pelo Dr. John Bacchus Dykes (1823-1876), da Universidade de CambruIge, Inglaterra. Diz-se também que ele muito se esmerava na composição da música para cada hino, tendo em vista a sua perfeita combinação com o sentido do mesmo. Assim, cada estrofe desse hino começa com um convite em uma escala chamada "menor" e, depois, por motivo de grande alegria, sendo o convite aceito, e termina em escala "maior"!

João Alexandre



O cantor João Alexandre Silveira, nasceu em Campinas-SP, no dia 29 de Setembro de 1964. Músico, intérprete, compositor, arranjador, desde muito cedo começou a cantar, mais especificamente aos 9 anos, quando foi descoberto cantando no banheiro de casa por uma de suas irmãs, Yara que, na época em que ele nasceu, além de ser a irmã caçula da família, já tinha 14 anos!


Daí em diante, por João se tornar o caçula e “temporão” de uma família simples de 6 irmãos, 3 homens e 3 mulheres, ela o carregava para festas de aniversário para acompanhá-lo ao violão, enquanto ele cantava e surpreendia a todo mundo com sua voz fina e afinada!



Foi ainda com 9 anos, que participou, sendo chamado carinhosamente de “O pequeno grande”, de um grande evento em Campinas, chamado REMEC (Recital de Músicas Evangélicas de Campinas) onde cantou sozinho, acompanhado sómente por um organista, do extinto Conjunto Universal, que organizara o evento, sendo este, um dos primeiros e grandes momentos musicais de sua vida ainda iniciante na música.

Estudando na Escola Branca de Neve, João começou a aprender seu primeiro instrumento, a corneta, tocando na fanfarra da escola, vindo, logo em seguida a aprender trompete.
Porém, por causa de problemas com a embocadura do instrumento, os pais resolveram interromper o aprendizado deste, o que levou João a outras alternativas instrumentais, como a bateria e logo em seguida, o violão, já com 12 anos de idade, sempre com base auto-didática.


Os primeiros contatos com a bateria vieram nos finais de culto da Igreja do Evangelho Quadrangular, em Campinas, onde, desde os 5 anos de idade, João sempre ia junto com sua mãe, Dona Gilda e onde acabaria por frequentar e dirigir alguns grupos musicais, além de tocar nos períodos de louvor, por mais de 14 anos.

O ouvido musical, bem como o desejo de aprender, aliados ao incentivo pela música por parte do seu pai , Sr. João, além de irmãos, parentes e amigos, acabaram por dar o grande impulso à vida musical de João, que, daí por diante, começou a compor suas primeiras canções, sempre com letras voltadas para a pessoa do Senhor Jesus, desde muito cedo conhecida através dos ensinamentos dos pais.


Dali em diante, junto de alguns amigos e irmãos, já com 18 anos, João formaria o Grupo Pescador, seguindo uma proposta mais “abrasileirada” de música cristã, que começara através de compositores cristãos como Sérgio Pimenta e Aristeu Pires, os quais, entre tantos outros, ainda hoje, João faz questão de ter em seus trabalhos, regravando e gravando suas canções. O grupo chegou a gravar um trabalho chamado “Contraste”, com 10 músicas, sendo 8 de João e uma em parceria com Luciano Garruti, seu parceiro de maior afinidade.

Por ser o único com alguma experiência de gravação, João acabou por gravar todo o vocal do disco, o que tornaria impossível uma apresentação ao vivo do grupo posteriormente, já que as vozes, além de trabalhadas, não teríam como timbrar-se de maneira igual à gravação. O grupo acabou por se desmanchar mais adiante, deixando sua marca como um daqueles trabalhos singulares da música cristã brasileira, que lembrava o grupo vocal Boca Livre, principal inspiração de João na composição das suas canções nessa época.


Além de Luciano Garruti, João encontraria outros parceiros de estrada como o próprio Guilherme Kerr, que, como ele mesmo diz, foi seu grande mestre em matéria de letra e poesia e com quem compôs muitas canções que marcaríam a vida da Igreja, no Brasil.

Com 19 anos, sua querida mãe, modelo de vida e de fé, faleceu e João, juntamente com seu pai, foi morar na casa de alguns de seus irmãos mais velhos, época em que lecionava violão.


Com 20 anos, decidiu ser missionário e participou durante 2 anos de um grupo de missionários/músicos chamado MILAD (Ministério de Louvor e Adoração) que teria como objetivo servir a Igreja de Cristo no Brasil e ser sustentado por ela através de ofertas voluntárias, seguindo uma visão “levítica” de sustento financeiro. Com o grupo, João viajou mais de 200 mil km por todo o Brasil , incluindo até o garimpo de Serra Pelada, no Pará, onde fizeram grandes trabalhos evangelísticos para mais de 45 mil homens.

Com 21 anos, ainda vivendo como missionário, João se casou com Tirza.

Percebendo que o caminho da música profissional tinha mais a ver com sua vida do que propriamente o caminho de “missionário” músico, João resolveu assumir diante de Deus o desafio de seguir sua vida na condição de músico profissional, deixando o MILAD na época em que tinha 1 ano de casamento e assim que soube, com muita alegria, da gravidez de sua esposa.


Daí em diante, retornaram para Campinas onde João, por muito tempo, teve que tocar em alguns bares e casas de shows para se sustentar e, além de começar a viajar juntamente com sua esposa, também intérprete, por todos os cantos do país, divulgando sua música e seu trabalho como músico e intérprete, fez sua trajetória crescer como arranjador e produtor musical com a ajuda de músicos e arranjadores experientes, além dos erros naturais que fazem parte do aprendizado de qualquer músico principiante.

Nomes como Williams Costa Jr., Marquito Cavalcante, Lineu Soares, Mara Granado, além de muitos outros que compartilhariam com ele sua experiência e sabedoria, foram de grande valia e incentivo ao caminho musical de João, que desde então já produziu e participou de mais de uma centena de gravações e produções de CDs, tanto evangélicos como seculares.

O antigo parceiro Guilherme Kerr o chamou para participar de algumas cruzadas evangelísticas do Rev. Caio Fábio D’araújo Filho, já que nessa época, Guilherme trabalhava com a VINDE (Visão Nacional de Evangelização). Mais tarde, Guilherme criaria a Gkerr Produções e João então seria chamado por ele para produzir e arranjar alguns CDs.


Um grupo que marcou muito sua trajetória profissional, possibilitando explorar muito de seu potencial musical harmônico, foi o também extinto Quarteto Vida, 4 meninas de Belo horizonte, que cantava com muita identidade, dando ainda mais riqueza aos arranjos que João fazia para elas. Tal contato faria nascer um amor especial por Minas Gerais, que, mais tarde seria transformado em música no seu primeiro disco solo, “Simplesmente João”. Durante esse período, nasceu o primeiro e único filho do casal, Felipe, que hoje, canta juntamente com os pais nas viagens.

Como cristão, João tem sido respeitado e elogiado por músicos do porte de Hélio Delmiro, Rique Pantoja, Oswaldinho do Acordeon, Serginho do grupo Roupa Nova, a cantora Wanda Sá e muitos outros grandes e desconhecidos músicos cristãos e seculares, que além de amigos e irmãos, têm dado uma enorme força ao seu trabalho com suas críticas e experiências.

Visando esclarecer a polêmica gerada sobre o caminho difícil do sustento financeiro e espiritual de músicos e artistas cristãos profissionais, João e Luciano Garruti, seu parceiro de maior afinidade, como já foi dito, decidiram transformar em um livreto, “Músico, Profissão ou Ministério?”, as respostas de muitas perguntas que há vários anos João tem dado às pessoas que o questionam sobre o tema.


Algumas revistas voltadas para a área de produção musical e CDs, como BACKSTAGE, SHOPING MUSIC CD, GOSPEL MUSIC CD e GUITAR PLAYER fizeram observações muito positivas sobre seus trabalhos e interpretações, de maneira geral. Revistas evangélicas têm feito grandes entrevistas com João, o que têm resultado numa projeção ainda maior de seu trabalho com intérprete, de sua personalidade simples e de seu talento dado por Deus.

Seus primeiros trabalhos gravados em CD contaram com a ajuda de gravadoras evangélicas como a Gospel Records em São Paulo, a Luz para o Caminho de Campinas, esta última que inclusive chegou a produzir também um CD de sua esposa intitulado “Muito mais”. A partir do seu 4o trabalho, “Voz e violão”, João decidiu seguir seu caminho por conta própria, “bancando” seus próprios CDs e sempre viajando ao lado de sua família por todo o Brasil, de quem, conforme ele mesmo diz, não abre mão jamais!


Com a ajuda e apoio da missão Vencedores por Cristo que atualmente distribui, divulga e presta serviços na área de propaganda e vendas para João, seus trabalhos têm sido divulgados de maneira mais acentuada nos últimos anos. Um de seus maiores sonhos é poder ter seu próprio estúdio de gravação, o que facilitaria muito o seu trabalho em geral.

De hábitos comuns e muito falante, curte um bom café com leite, além de um churrasco, segundo ele, suas paixões alimentícias, já que por precaução à pressão alta e excesso de peso, vigia constantemente sua alimentação.


Jessyca



Nascida e criada em um lar evangélico, desde pequena Jessyca despertou o interesse pela música. A jovem sempre cantou em igrejas, dividindo o foco de suas atividades entre o estudo e o amor pelo louvor a Deus. Durante um período, dedicou-se inteiramente à carreira militar, o que, segundo ela, também sempre foi um sonho.

Mas a vontade de Deus era que a jovem fosse um instrumento de louvor e adoração ao Seu nome. Atendendo ao chamado para o qual foi escolhida, Jessyca decidiu largar tudo o que havia conquistado na vida profissional. Em um ato de fé e obediência aos propósitos de Deus, investiu exclusivamente no ministério e, de uma maneira sobrenatural, viu as portas sendo abertas.



Hoje, a cantora desfruta de um dos melhores momentos da carreira. Feliz por integrar o casting da Line Records, Jessyca pretende alcançar e resgatar vidas através do álbum Deus é +. “Agradeço a Deus por ter cumprido tão rápido suas promessas em mim. Espero que este trabalho alcance muitos corações, mostrando a verdade que está em Cristo”, diz a jovem.